sábado, 26 de dezembro de 2009

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

estudo coreográfico


Estudo coreográfico realizado no projeto Registro Geral
participação de Charlene Saad e Reginaldo Oliveira, cordenação Jorge Schutze

RGrelatorio de atividades#2


Ainda em dezembro/2009, Jadiel se afasta do grupo, por não poder atender aos encontros.

O grupo segue sua rotina de encontros com aulas e momentos de improvisação em grupo

primeiro relatório de atividades

Os trabalhos iniciam ainda em outubro com a reunião entre os participantes do projeto, na sede do Quilombo, no Jacintinho (MACEIO AL).
Charlene Saad, Maria das Dores, Denivan Costa, Regis,Jadiel e Jorge.


O grupo inicia os escontros, com aulas realizadas por cada participante do projeto, e momentos de improvisação em grupo. Os primeiros encontros sempre são desfalcados, os participantes ainda acertam suas agendas para poderem disponibilizar os momentos de encontro.

No mês de dezembro o grupo ja mais organizado, segue a rotina de aulas.
juntam-se ao grupo Elizangela e Jailton, que ja estão realizando um trabalho juntos, ensaiando tambem na sede do Quilombo.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

folia das letras.

veja as folias que o jorge realizou no interior do estado junto do grupo dos artistas professores: Ary, Marcelo, Estelita e Lyca
visite o linki: http://movimientolaredsd.ning.com/photo/albums/folia-das-letras


02.12.09 - Penedo
03.12.09 - Jacaré dos Homens
04.12.09 - Xingó

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

registro geral ensaio #2

Sem nenhuma foto
ou apareho de som
o ensaio hoje foi simplesmente
maravilhoso.
So publiquei para nunca mais esquecer.

domingo, 22 de novembro de 2009

sábado, 7 de novembro de 2009

domingo, 11 de outubro de 2009

REGISTRO GERAL - RECUPERAÇÃOmaterialDOatoDEexistir

Iniciando os trabalhos do Núcleo.

O PROJETO REGISTRO GERAL – RECUPERAÇÃO MATERIAL DO ATO DE EXISTIR é a criação de um núcleo de pesquisa em ação cênica, onde cada participante integra o projeto com suas iniciativas pessoais, e lá juntamente com outros pesquisadores, pode desenvolver seu projeto pessoal, dentro da logística preparada pelo núcleo, que pode oferecer além da troca de experiência entre os participantes, espaço de ensaio, troca de material bibliográfico, videográfico e documental, auxilio material na elaboração das pesquisas, equipamento de documentação dos processos, diálogos com especialistas, diálogos com a imprensa, etc.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

CONSULTAS PÚBLICAS PELOS DIREITOS HUMANOS EM MACEIÓ


Istivan Sandorfi
la-tache-de-safi-by-sandorfi



Incentivar a sociedade a participar das discussões sobre o Plano Integrado de Promoção ao Direito Humano à Segurança (Maceió Mais Segura) é o objetivo das rodadas de consultas públicas que a Prefeitura de Maceió vai realizar, nos dias 26 e 29 de setembro e em 1º de outubro. O objetivo das consultas é envolver e integrar os órgãos públicos de diferentes setores, na solução de problemas de segurança urbana voltada, principalmente, aos representantes de movimentos que lutam pelo respeito à diversidade, como forma de promoção dos direitos humanos. Os representantes de movimentos e grupos ligados a culturas populares serão os participantes da 1ª consulta, que acontece no próximo sábado (26), a partir das 15h, no auditório da Prefeitura de Maceió (Rua Sá e Albuquerque – Jaraguá). A segunda Consulta Pública, no dia 29 de setembro, será destinada ao Segmento do Turismo e realizada a partir das 17h, também na prefeitura da capital alagoana. Já no dia 1º de outubro será a vez dos representantes do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transgêneros) participarem da plenária, que acontece a partir das 18h no auditório da Secretaria de Direitos Humanos, Segurança Comunitária e Cidadania (Semdisc), na Praça Sinimbu, 141 – Centro, Maceió. Mais informações: http://maceiomaissegura.blogspot.com/2009/09/prefeitura-ouve-movimentos-de-culturas.html.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

visite o Mueck


http://paintalicious.org/2007/09/14/ron-mueck-hyper-realist-sculptor/

domingo, 20 de setembro de 2009

NEM UMA UNICA LINHA SO MINHA

Jorge participa da performance intermídia - NEM UMA UNICA LINHA SÓ MINHA, de RICARDO ALEIXO, no Sesi Pajuçara, no ultimo sábado (19 de setembro)

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

RICARDO ALEIXO - performance intermidia

Caros amigos:
 
dia 19 de setembro as 20h
o poeta intermídia
Ricardo Aleixo (MG)
apresenta sua performance:
 
Nem uma única linha minha,
 
 
no teatro do Sesi (Pajuçara).
 
O trabaho poético de Ricardo Aleixo envolve além de livros, performances intermídia, objetos, blogs e intervenções.
 
 
Motivado pela alegria de poder performar pela primeira vez no Cine SESI Pajuçara,
em sua reabertura, após um breve período de reformas, oferecerei ao público de MCZ um repertório repleto de peças audiovisuais que citam explicitamente o cinema e alguns dos cineastas que fazem parte do meu universo de referências poéticas. 
extraído do blog de Ricardo Aleixo
 
 
Confiram o texto completo que ele publicou no seu blog a respeito de sua vinta a Maceio, http://jaguadarte.blogspot.com/2009/08/bhzmcz.html
e conheçam seu perfil
 
http://www.blogger.com/profile/04607685034260925494
 
A sua vinda a Maceio, é parte do
PROJETO FOLIA DAS LETRAS,
coordenado pela Professora Eliana Kelafas
 
http://sites.google.com/a/proext.com.br/folia-das-letras/Home
 
que já trouxe a Bailarina e Professora Jussara Miller
 
http://sites.google.com/a/proext.com.br/folia-das-letras/Home/palestra-a-escuta-do-corpo
 
e é produzido Professora
Glaucia Machado(GRUPO TEXTA)
 
Jorge Schutze

--
visite nos na net
http://companhialimitda.blogspot.com/
http://picasaweb.google.com.br/orgeus/C
http://movimientolaredsd.ning.com/profile/jorgeschutze
http://cialtda.wordpress.com

sábado, 5 de setembro de 2009

despacho - II

Despacho - II versão.ago.2009 from Jorge Schutze on Vimeo.



Pesquisa sobre a linguagem da dança em ambientes humanos. ´Praça Deodoro.Maceio.AL
Imagens de Ademir Barros

terça-feira, 18 de agosto de 2009

sábado, 25 de julho de 2009

retráteis


,só mesmo se você . leia o pensamento ainda a pouco. a capacidade de escutar. porisso a literatura se torna. seria exagero. Não. por ser eterno o desejo no humano,. existe antes de tudo um quero. talvêz fosse poesia, ... Um. E alguns com mais... Tazio? Talves nem seja necessário. . nem mesmo a literatura é necessária. talento. Então péraí. Pra que tudo isso afinal? É só um desses dias, noites, invernos, e quem? tem o que fazer? Os professores e suas cadernetas cheias de controladores de disciplina? Então vamos lá. Quem acredita mesmo no que pensa? Quem ja conseguiu perder-se nessa pista escorregadia? estensa? Nem mesmo o amor é lindo!Que marta? Eu disse: era a hora! Eis! Escuta o pensamento! Nota 4.Ainda não! ainda não.ainda não. Por conta da complexidade. Então pra que ficar tentando copiar um estilo. Estilo? Que estilo? trata-se de que afinal? Estou ficando estranho. Onde Está aquele meu espelho? Retráteis? Porque sim. Ou não.um pré gesto.sobrinho do pré-pago. as vezes tem-se a impressão que alguem esta tentando um pré requisito. impressão.A literatura não pode nos salvar, que merda né, Tazio?
FAÇA MELHOR - LEIA retráteis do TAZIO, DEPOIS A GENTE SE FALA
OBS>: FOTO : eu, do trabalho do PAULO SANTO

IV VISÕES URBANAS - FOTO DO FABIO



estado de graça no Festival Internacional de Dança em Paisagens Urbanas.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

estudos sociais - despacho

o projeto procura uma interação entre o corpo que dança e os ambientes humanos, a primeira experiencia acorreu no calçadão de maceio - AL.
CONFIRA!!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

concurso ufal

http://www.copeve.ufal.br/sistema/anexos/Docente%20UFAL%20-%20Escola%20Tecnica%20de%20Artes/Edital.pdf

segunda-feira, 1 de junho de 2009

confiram

http://www44.bb.com.br/appbb/portal/bb/ctr2/index.jsp

IV VISOES URBANAS -

REFLEXÔES SOBRE O CORPO E O AMBIENTE URBANO.
Participar de um festival de dança em paisagens urbanas é um grande previlegio que nos faz refletir.

Antes de mais nada a velha pergunta: Qual o lugar da dança?? Que espaços reais e virtuais a dança ocupa/deve ocupar na tribulada burocracia a que os corpos se submetem nos tempos que correm?

E mais. Como gerar/gerir/criar significados nas pesquisas que a dança contemporânea vem realizando, especialmente no espaço aberto, democrático e (teoricamente) livre da rua?

Depois de tantos questionamentos e e tensionamentos causados pelos textos de Foucault no final do seculo passado, o que a dança pode em relação ao biopoder e ao disciplinamento corporal?
Ou até, a que mais serve a dança na rua ?

Na verdade os questionamentos levantados por Foucault, não se exauriram, até porque pouco se fez de lá pra cá em relação a isso. Continuamos a fazer-nos vítimas de nossa propria construção social simbólica.

O que nos espanta, é que os mesmos mecanismos de controle e disciplinamento possam ser aplicados aos procedimentos artísticos, inclusive à dança. De tal modo que se observa uma supremacia do estético sobre o espontâneo, tantos anos decorridos das experiências de Oiticica e seus Parangolés. Mais espantoso ainda: a supremacia do coreógrafo sobre a dança dos "seus subordinados".

O espaço para o corpo autônomo ou em busca de autonomia, com sua expressão imediata, não pode ainda ser aceito dentro dos cânones da dança oficial. O valor vigente é o de uma estética de empréstimo. Uma estética coreográfica que imita o objeto de desejo (europeu/americano/etc) sem questionar nem a sujeição, nem o proprio corpo - único lugar possivel de uma revolução (se é que ainda a desejamos)

Tudo isso se torna questionvel nas ruas das cidades terceiro-mundista, sobretudo porque o corpo cotidiano tem criado cada vez mais espaços de rebelião: nas greves, nos movimentos sociais, nas festas, no sexo, na brincadeira, e até na violência, no uso de drogas, etc.

Daí a importância do espaço urbano. Que razão teria a dança para abandonar a tranquilidade das salas de teatro, e invadir o espaço público? A transposição de espetáculos das salas para a rua pode ampliar a a possibilidade e a diversidade das platéias, mas existe nisso suficiente argumento?

E o corpo educado para a dança, o que ele tem exatamente a dizer ao espaço e público da rua? Reafirmar sua supremacia e destreza espetacular?. Apontar a incondição, a falência e a precariedade do corpo dito comum? como isso pode ser visto eticamente? Que ética da relação corporal nos interessa?

Ao levantar-se questões sobre o corpo-que-dança na rua minha intenção é procurar um avanço nas minhas pesquisas corporais, e especialmente na relação desta com o público e o espaço urbano, ja que o humano prescinde mais e mais das investigações que a dança tem gerado, tanto mais agora em que o corpo foi reconhecido como principal midia em todas as área do conhecimento. E sabemos, como bailarinos, que ele carrega em si toda a possibilidade entre a revolução e disciplinamento.

Só por poder gerar questionamentos em relação ao meu próprio trabalho e a tudo o que pude conferir, ja tenho que agadecer imensamente a todos os participantes, e especialmente à organização do festival.

Porisso muito confete para o Ederson, Andrea, Bárbara, Elder, Rodrigo, Diogo, Mirtes e a todo o pessoal da cia. artesãos do corpo, e aos nossos incansáveis motoristas.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

cia.ltda. participa noIV VISÕES URBANAS


Entre 19 e 23 de maio próximo a cia.ltda., grupo de performances corporais, participa do IV VISÕES URBANAS - Festival de Dança em Paisagens Urbanas, com o espetáculo ESTADO DE GRAÇA.O espetáculo solo foi produzido com o Premio Alagoas em Cena 2004 (quando ele ainda existia!), e inspira-se na obra Vidas Secas, de Graciliano Ramos. É uma reflexão a partir das submissões que o "coronelismo" (ainda forte no estado) impõe aos corpos. O abuso no uso dos bens naturais, especialmente o inexcrúpulo no uso da terra, é investigado no trabalho, enquanto conseguencias a nosso corpo e seus desdobramentos, e ainda enquanto modo material de submissãO IV VISÕES URBANAS, é uma iciciativa da Cia. Artesãosdocorpo, de São Paulo. O festival foi produzido com recursos do PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL - PROAC.2008, financiado pela Caixa Econômica Federal, e se propõe a um dialogo efetivo entre as expressões do corpo e a arquitetura.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

instantâneo integral


Ensaio no espaço cultural dia 29.04.09, pra mim a mary procura um teatro de si mesma, na ambiguidade do que é ser exposta

segunda-feira, 20 de abril de 2009

cia.ltda. recursos humanos - SESC

Apresentação em TEotônio Vilela - SESC

cia.ltda. recursos humanos

Apresentação em Teotônio Vilela-AL - o trabalho só se realiza com a participação efetiva do público, destruindo a hierarquia palco/plateia.

RH jorge jaragua

ensaio no jaragua

terça-feira, 7 de abril de 2009

reflexões para um teatro pos brecht - voce precisa saber da...

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=145423&ass=16&data=2009-04-19

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=145410&ass=11&data=2009-04-19

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=145344&ass=11&data=2009-04-18

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=144795&ass=15&data=2009-04-07

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=144830&ass=16&data=2009-04-07

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=144937&ass=11&data=2009-04-09

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=144935&ass=11&data=2009-04-09

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=144893&ass=11&data=2009-04-08

http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=145000&ass=15&data=2009-04-10
check as informações e responda - porque é horrivel viver assim?

ato público

estou na agencia da caixa economica de maceio. è um lindo dia de abril, e o calor só é menor que a paciência dos caixas. Dois: Um senhor que aparenta uns quatrocentos e trinta e sete anos e sempre sabe ser o mais simpático possível, mesmo diante de qualquer negativa. e A outra uma ex linda. ex magra. ex rebelde. ex posa. ex culhanbada. mas sempre, e porque não - sim pática. Sim. Sim.Sim. Depois de quarenta e tres minutos e 12 décimos de espera na fila, onde eu também procurava sins, ela me atende. Entregue as papeladas, ela olha com muita "parcimônia". isso, essa palavra. Parcimônia. E me devolve - não posso receber.E teceu. sim. Teceu. Infindáveis novelos de categóricas justificativas. Isso mesmo. Com essas palavras. Ela teceu novelos de infindáveis e categóricas justificativas para seu ato. Depois que eu pedi com muita paciencia, repliquei que só queria PAGAR, e tentei o mais que pude ser sim. sim. sim. patissíssimo. O quanto eu pude. Cai de joelhos, me afastei do quichê pra que ela pudesse me ver e implorei, me arrastando pelo salão - pelo amor de Deus, receba minha conta moça - deixa eu pagar pelo amor de Deus. Num suspiro de apelo - eu não quero comer seu cu - quero pagar - eu não quero roubar - quero PAGAR. eU NÃO QUERO DA COM A MÃO NA TUA CARA - só quero pagar. Deixa. Por favor Deixa eu pagar. Diante dos meus suplícios. Ela num arroubo de generosidade, decidiu ir falar com o Gerente de Atendimento. - Mas ele não vai deixar, ela me garantiu. Eu sigo atrás dela, sempre de joelhos. Ela tinha razão ele não deixou mesmo. E disse mais. Era bom que eu parasse com aquela palhaçada, senão... Eu, como tenho um pé no sadomasoquismo. SENÃO???.... FIQUEI LOKO. iMPLOREI. mais. mais. mais . mais. Como ele era irredutível a meus apelos e se levantou e chamou o guarda, mudei de papel. Esmurrei a mesa. Chamei a agência toda de incompetente. Que eles deviam atenter melhor etc. - E principalmente o etc eu ja disse ao berros. O povo calado estava. Ficou. ATé que eu conclamei as massas a me apoiarem. E voces acham certo a pessoa esperar 40 minutos pra ser atendito? pausa. Voces não acham que podiam colocar mais um ou dez caixas?pausa interrogativa(?) Depois de alguma insistência o povo passou a assentir, mas só com um balanço de cabeça aos meus "quase" berros. O guarda disse que ia chamar a policia. Eu pedi que chamasse dois. E comecei a inquirir o público - To robando?? to batendo? maltratanto? comendo alguem?? So a cabeça mais com um pouco mais de coragem, ou medo sei lá, fazia um não. O gerente Verdadeiro. Chegou. Resolveu tudo - me chamou num canto. falou bem baixinho que ia resolver tudo - eu continuava respondendo alto. Ele Voltou com tudo pronto e pedindo que eu não fizesse aquilo. Isso não era jeito de resolver. Eu perguntei se ele achava uma maneira melhor. Como ele não tinha eu sugeri colocar mais caixas. Ele achou uma ideia "razoável" e ia pensar a respeito. Despedimo-nos mui cordialmente.

oi meu povo!!!

Bem vindos às pesquisas da cia.ltda.
Siga nossos links aí do lado esquerdo para conhecer um pouco mais dos trabalhos da nossa galera.